As mudanças no Rampart é definitivas o suficiente?

Já se passou o pouco mais de uma semana desde que o buff mais recente de Rampart foi ao ar. O patch de evento da coleção Evolution lançado em 14 de setembro e deu a Rampart a capacidade de pegar e mover-se com sua melhor, a minigun Sheila. Foi uma grande melhoria para uma personagem que estava fraca no lançamento e continuou a lutar em termos de desempenho e taxa de escolha em confrontação com suas outras lendas.

Leste buff ao sumo pode ser definido para expandir seu papel restringido no meta.

Os desenvolvedores do Respawn forneceram uma visão de seu raciocínio para as últimas mudanças de Rampart nas notas de patch para o evento de coleção Evolution: “Uma mito baseada unicamente em uma posição defensiva é difícil de concertar no Apex Legends. Achamos que Rampart tem o lugar uma vez que a mito defensiva definitiva, mas queríamos dar a ela o pouco mais de capacidade de ser reativa e empuxar com sua equipe. ”

Embora o giro da minigun seja mais longo do que no modo estacionário, e Rampart só receba o carregador de munição para ela antes de colocar Sheila em uma posição definida ou desistir totalmente, a capacidade simples de usar seu ultimate enquanto se move dá a suas capacidades ofensivas o impulso muito necessário. Mesmo depois que Sheila ficou sem munição inicial, os jogadores agora podem colocar a minigun e usá-la com recargas infinitas em sua posição estacionária.

É uma magnífico mudança para o personagem que está em uma posição difícil desde seu lançamento na sexta temporada. Essencialmente, o buff transforma Rampart de uma mito cujas habilidades só é eficazes de uma posição defensiva entrincheirada para alguém que pode ser eficiente enquanto empurra outra equipe ou recua, o requisito fundamental da maioria das lutas em Vértice, que geralmente envolvem reposicionamento estratégico e podem ocorrer em vários compromissos distintos.

A última vez que Rampart teve o buff foi na estreia da oitava temporada. Na era, as notas do patch da oitava temporada deixaram simples que Rampart precisava urgentemente de uma melhoria: “Rampart permaneceu na segmento subordinado em nossas métricas de desempenho desde seu lançamento. Seu kit é muito desenvolvido em torno da geração proativa de uma posição poderosa, mas em o jogo tão rápido uma vez que o Apex, determinamos que suas paredes deveriam ter alguma potência reativa também. ”

Imagem via Respawn Entertainment

Naquela era, Respawn aumentou a saúde de suas paredes defensivas em sua período de construção, aumentando-as de o risível o HP para 45 HP. Respawn também aumentou o relâmpago de swing da minigun de Rampart de 120 graus para 180 graus, permitindo que os jogadores derrubassem qualquer coisa, mesmo que vagamente na frente deles. Mas o problema fundamental permanecia: em uma guerra real, a menos que uma equipe tenha muita sorte, nenhuma posição é segura por muito tempo.

É uma questão em lhano se esses buffs mais recentes serão suficientes. O tempo ligeiramente mais longo de rotação de seu ultimate e a velocidade de movimento lento de Rampart ao usá-lo podem continuar a torná-la uma escolha de nicho, mas o buff parece ter atraído pelo menos o profissional.

Uma discussão sobre o competitivo Vértice subreddit na semana passada sobre os fãs de Rampart e o potencial de uma elaboração de equipes de Rampart, Gibraltar e Valkyrie obteve uma resposta do jogador profissional TeQ. “Estarei executando levante comp”, escreveu ele. “Eu teorizei sobre isso desde que Valk foi libertado, mas não pude justificar devido ao traje dela ser uma merda. Agora esta bom.”

Sua reparo direta sobre o ultimate de Rampart foi certamente o dos grandes obstáculos que prendeu o personagem. Mas o final foi unicamente o dos problemas que impediram Rampart de qualquer uso significativo em jogos de superior nível ou eventos competitivos.

Outros jogos no profissional Vértice A cena era menos otimista sobre o potencial de Rampart. “A questão é que ela não é necessariamente ótima em se manter firme, pelo menos nem de longe tão boa quanto Caustic”, escreveu Raven, uma jogadora e ex-treinadora, em uma mensagem no Twitter para Dot Esports. “E Sheila não compensa isso.”

Treinador para Invictus Gaming Alistair “EMEF” Allum achava que a mistura de ataque e resguardo de Rampart era “extremamente interessante”, mas seus pontos fortes eram ofuscados por depender de personagens defensivos mais fortes.

“Se o lugar de Rampart no meta era para preencher o papel de resguardo de construção semelhante ao cáustico, substituir Gibraltar por suas habilidades de cobertura traste ou servir uma vez que o personagem que divide a diferença, Rampart provavelmente irá falhar fundamentalmente devido à sua obediência de outros personagens, ”EMEF disse. “Sua Shiela retrabalhada a torna o dos melhores personagens de luta completa do jogo? Pode ser. Mas, contanto que ela dependa da tenda da toga traste de outro personagem para configurar seu longo tempo de corda para ambos [tactical] e seu Ult, ela não terá realmente o lugar em uma elaboração competitiva da maneira que a meta do World Edge atualmente funciona. ”

O lustre falhou em abordar uma segmento medial de seu kit: suas paredes, que ainda estão muito fracas. Eles é profundamente situacionais, frágeis e levam muito tempo para serem construídos.

Compare-os com a capacidade tática de Gibraltar, o escudo de bolhas. É quase momentâneo e tem HP infinito – não pode ser quebrado durante seus 12 segundos. Nesse período, o esquadrão pode destruir várias muralhas de paredão.

Mesmo admitindo que Rampart pode ser eficiente às vezes, não é suficiente que suas habilidades funcionem para certas situações. Para se tornar viável em jogos de superior nível ou em torneios, ela precisa oferecer mais utilidade do que outras lendas que desempenham o papel semelhante.

Screengrab via Respawn Entertainment

Por exemplo, é difícil entender no momento por que uma equipe em procura de uma força defensiva escolheria Rampart em vez de Cáustica. As habilidades do cilindro de gás do Toxic Trapper é úteis tanto para negação de extensão quanto para empurrões ofensivos, e podem ser altamente eficazes nos pequenos círculos do final do jogo. Com unicamente 45 HP durante uma período de construção que dura muito tempo e nenhuma capacidade de fomentar dano passivo, as paredes de Rampart não podem competir de verdade. Da mesma forma, o último de Caustics, sua granada de gás, justificação danos passivos mortais ao longo do tempo e também funciona uma vez que uma utensílio de zoneamento. Se for certeiro, é o tipo de habilidade que não requer nenhuma ação suplementar por segmento do jogador. O gás cáustico fere o outro time e os força a se movimentar, deixando os jogadores cáusticos livres para atirar em patos sentados.

A minigun de Rampart, por outro lado, exige que o jogador mire, forçando-o a controlar o ultimate enquanto persistir a utilidade da habilidade. E, nem é preciso proferir, não funciona se o jogador do Rampart estiver focado e lânguido, uma vez que é provável em confrontos envolvendo jogadores altamente qualificados. Suas habilidades só é eficazes se forem gerenciadas ativamente pelo jogador. Em o troada com muitas variáveis ​​para gerenciar, a atenção extra que eles requerem é simplesmente muito face.

O buff certamente ajudará Rampart em jogos de grave nível. Mas nos lobbies classificados uma vez que Diamante e além, espero que Rampart continue a lutar – talvez encontrando o pequeno nicho. Enquanto Caustic brilha uma vez que uma mito defensiva por justificação de sua versatilidade, Rampart (muito parecido com Wattson hoje em dia) é o personagem difícil de se encaixar no estilo depressa de Vértice. O buff para seu ultimate é absolutamente o passo na direção certa, tornando-a uma prenúncio ofensiva a ser evitada a todo dispêndio. Mas suas paredes é o grande sinal de néon dizendo aos outros jogadores onde jogar suas granadas para matar facilmente, e suas defesas simplesmente não estão à fundura.

- Publicidade -
- Publicidade -Ucorvo
close