EUA consideram alerta Ucrânia sobre invasão russa em tempo real

“A primeira coisa que podemos fazer é perceptibilidade acionável em tempo real que diz: ‘Os russos estão chegando ao término’”, disse Evelyn Farkas, que atuou porquê subsecretária de resguardo para a Rússia, Ucrânia e Eurásia no governo Obama. “Nós dizemos a eles e eles usam isso para brigar os russos.”

Ela disse que “estávamos nervosos com isso no pretérito”.

O problema potencial em fornecer perceptibilidade acionável, reconhecem as autoridades americanas, é que isso poderia levar a Ucrânia a brigar primeiro – o tipo de cenário que as autoridades ocidentais acreditam que Putin tem tentado vender ao público russo.

Neste verão, Putin argumentou em o cláusula que russos e ucranianos eram o só povo e disse que a formação de o estado ucraniano hostil a Moscou era comparável “em suas consequências ao uso de armas de ruína em tamanho contra nós”.

Ele continuamente pintou o governo ucraniano porquê o assaltante, bravo pelo Oeste. Mas se os tanques russos estiverem se movendo pela fronteira e a Ucrânia os almejar, será difícil para Putin apresentar esse argumento. Campanhas de desinformação russas atacaram o governo ucraniano e acusaram o presidente Volodymyr Zelensky de produzir uma crise humanitária no leste do país, onde forças do governo ucraniano lutam contra separatistas liderados por russos há anos, disseram autoridades ocidentais.

Na sexta-feira passada, Putin codificou o que há muito vem dizendo a autoridades americanas e europeias em reuniões, exigindo que os Estados Unidos e seus aliados interrompam todas as atividades militares na Europa Oriental e na Ásia Médio em o conciliação de segurança semelhante ao da Cold War. O vestuário de a demanda ter surgido quando as tropas russas estavam na fronteira com a Ucrânia vinculou explicitamente a implantação a uma provável invasão, disseram autoridades americanas.

Oficiais americanos e da Otan negativamente rejeitaram as principais demandas da proposta russa, que veio na forma de o projeto de tratado sugerindo que a Otan deveria oferecer garantias por escrito de que não se expandiria mais para o leste em direção à Rússia e interromperia todas as atividades militares nas ex-repúblicas soviéticas.

Mas os Estados Unidos também estabeleceram negociações com Moscou, para janeiro, durante as quais autoridades disseram que tratariam de uma série de reclamações detalhadas pela Rússia. Na quarta-feira, o general Mark Milley, presidente do Estado-Maior Conjunto, falou com seu homólogo russo, o general Valery Gerasimov. A Ucrânia procura a adesão à OTAN há anos – o movimento que enfureceria a Rússia – mas, apesar do delonga, os Estados Unidos hesitaram em retirar a adesão da Ucrânia da mesa.

- Publicidade -
- Publicidade -Ucorvo
Please wait...