Uma vez que os desenvolvedores de jogos estão lidando com trapaças e linguagem abusiva em jogos online

Oferecido que para cada trapaça há pelo menos 16 jogadores limpos e não apóiam tal comportamento, é finalmente provável chegar a um estágio em que a trapaça pode ser efetivamente removida dos jogos e esportes eletrônicos.

Trapaça e mau comportamento é problemas comuns com os quais todos os jogos online de hoje lidam e, por extensão, até mesmo nos esportes. Há uma grande variedade de motivos por trás dessas ações. Embora esteja no controle, em muitos casos, sempre há casos de pessoas ultrapassando os limites.

Casos porquê a linguagem abusiva e depreciativa usada por Mannu ‘Krat’ Karki durante uma partida contra alguns outros jogadores é o que vem à mente. Krat era um popular lançador PUBG Mobile (antes do jogo ser precito na Índia) para NODWIN Gaming. Após, um incidente levou à sua expulsão da organização.

O incidente com Krat aconteceu em abril de 2020. No entanto, na última semana houve um incidente ainda maior. O jogador profissional do Valorant Abhay ‘Xhade’ Urkude, que fazia segmento da muito estabelecida equipe indiana do Valorant. Pára-quedistas admitiram ter trapaceado. Embora o incidente da trapaça de Xhade não tenha sucedido em uma partida solene, mas em um jogo de pub, isso não desculpa o veste de que ele usou cheats. Oriente incidente foi comparado ao incidente do ex-jogador de Counter-Strike: Global Offensive (CS: GO) Nikhil “posposto” Kumawat trapaceando em um jogo profissional em 2018. Os detalhes do incidente foram revelados quando Xhade foi confrontado por vários outros jogadores indianos proeminentes do Valorant.

Os incidentes de trapaça ou uso de linguagem abusiva em esportes profissionais é raros. A maioria dos jogadores profissionais é razoável em seu comportamento e sabe quais limites não devem ser ultrapassados, o jogador médio nem sempre é tão sábio. Com o passar do tempo, esses problemas levaram os desenvolvedores de jogos a juntar uma apólice de seguro para sofrear comportamentos indesejáveis. A apólice de seguro é muitas vezes referida porquê o sistema Anti-Cheat ou Política Anti-Cheat, esta apólice raramente é somente um conjunto de termos, a maioria dos jogos hoje tem um software devotado ou conjunto de software que monitora cada jogador em uma tentativa de pegá-los que se recusam a seguir as regras.

Foto representativa. Crédito da imagem: Twitter / @ ESL

Na última semana, o Dota 2, um dos esportes eletrônicos mais ricos do mundo, anunciou a introdução do ‘Sistema Overwatch’. Oriente sistema é a solução criada pela Valve Corporation para sofrear e, eventualmente, remover jogadores malcomportados da comunidade. A Valve Corporation já implementou nascente sistema anteriormente no CS: GO.

Olhando para o sistema overwatch, é uma solução voltada para a comunidade. O sistema, uma vez posto em ação, permite que os jogadores relatem um jogador suspeito ou com comportamento inadequado no meio do jogo. A segmento única do sistema de vigilância é que, ao contrário da maioria dos outros sistemas anti-trapaça em uso hoje, ele expõe o caso para que os membros da comunidade de jogos o julguem. A seleção de quem pode revisar um caso é feita com base em uma pontuação de comportamento que é atribuída a cada jogador e é atualizada periodicamente. Unicamente os jogadores com uma pontuação subida de comportamento podem ser solicitados a revisar esses relatórios.

Muito parecido com o Dota 2 e o CS: GO, o PUBG Mobile possui um sistema chamado Video Review Station. Isso também é orientado pela comunidade até visível ponto, os relatórios é revisados ​​pelos jogadores e se houver veredictos de culpa suficientes, um membro da equipe analisa o caso antes de passar uma decisão final.

Uma grande questão que vem à mente é porquê os desenvolvedores descobrem se um jogador está trapaceando, eles esperam por relatórios para desenredar os trapaceiros?

Neste caso, a abordagem difere com base na natureza da ofensa. Com questões porquê mau comportamento, é difícil definir mau comportamento e cada desenvolvedor de jogos tem seu próprio conjunto de regras e diretrizes que constituem mau comportamento. Em muitos casos, a linguagem pobre e seu uso só é detectados posteriormente um relatório ser feito.

Quando se trata de trapacear, é importante aprender os diferentes tipos de medidas que existem para mourejar com tais situações. Existe o método de investigação de jogadores suspeitos, isso pode ser feito por meio de revisão de seu desempenho no jogo anterior e procurando por quaisquer flutuações no desempenho ou estilo de jogo para estabelecer um padrão. O outro método é mais intrusivo por natureza e, porquê tal, é auxiliado por um software anti-cheat especializado. Esses softwares têm diferentes meios para detectar trapaças, medidas porquê escanear a memória do dispositivo em procura de softwares de trapaça é considerado um dos métodos mais eficazes.

Um exemplo muito divulgado de software que funciona dessa maneira é o Battleye. Oriente software é divulgado por alguns porquê o padrão ouro em medidas anti-cheat por muitos. Muitos desenvolvedores de jogos optaram por usá-lo em vez de desenvolver sua própria escolha. Rainbow Six Siege (R6), PUBG e Fortnite é alguns exemplos de jogos que incorporaram nascente sistema. Valorant, outro jogo popular, usa seu próprio software interno que funciona de maneira semelhante ao Battleye.

Enquanto os desenvolvedores de jogos trabalham duro para limitar as trapaças e o mau comportamento, existem questões de privacidade às quais as soluções invasivas estão sujeitas. Há também a questão de quão eficazes essas soluções realmente é.

Mesmo uma solução anti-cheat intrusiva só pode identificar cheats que é conhecidos pelo software ou desenvolvedores, também há a chance remota de que um software possa ser diagnosticado porquê um software trapaceiro, embora não tenha nenhum propósito a esse reverência. Esses problemas fazem com que muitos jogadores tenham pavor de concordar em usar um software que potencialmente seria capaz de acessar todos os dados do dispositivo em uso.

Acredito que embora cada jogador tenha uma maneira própria de curtir um jogo, a maioria não é trapaceiros. De conciliação com os dados coletados pela Riot Games para jogadores do Valorant, somente 3% dos jogadores realmente receberam mais de 1 relatório de trapaça. Embora seja somente 0,3% que recebe mais de 3 relatórios. Embora denúncias e trapaça não estejam correlacionadas em todos os casos, 53% dos trapaceiros receberam uma denúncia antes de seu degredo e somente 60% dos jogadores que receberam 20 denúncias é banidos posteriormente uma revisão. Mesmo que o pior fosse verdade, não deveria ter mais de 6% dos jogadores Valorant que se entregam a trapacear. Isso mostra claramente porquê os trapaceiros é uma minoria.

Oferecido que, para cada trapaça, há pelo menos 16 jogadores limpos e não apóiam tal comportamento, é provável chegar a um estágio em que a trapaça pode ser efetivamente removida dos jogos eletrônicos. No longo prazo, a responsabilidade de não trapacear é do jogador. Isso se deve ao simples veste de que existem métodos de trapaça, porquê fazer com que um jogador mais habilidoso jogue a partir da conta para melhorar as estatísticas do jogo, isso é divulgado porquê boosting e as pessoas que recorrem a isso é menosprezadas pelos outros. Boosting é considerado um comportamento tão ruim que um insulto generalidade entre os jogadores para colegas de equipe com insignificante desempenho é ‘quanto você pagou pelo boost’.

Encontre os mais recentes e futuros gadgets de tecnologia online em Tech2 Gadgets. Receba notícias de tecnologia, análises e classificações de gadgets. Gadgets famosos, incluindo especificações de laptop, tablet e celular, recursos, preços e conferência.

- Publicidade -
- Publicidade -Ucorvo